banner ad

Como a Copa do Mundo 2014 poderá apoiar o turismo sustentável no Brasil

28 de June de 2013 | By | 1 Reply More

No final de mais de uma semana de manifestações por todo Brasil e protestos contra o desperdício do dinheiro público em prol da Copa do Mundo ao invés dos serviços públicos, eu me pergunto como o turismo se encaixa em tudo isso e como nós, aqueles que promovem o Brasil lá fora, iremos lidar com a imagem negativa e a reputação do país.

Em princípio, o Brasil sendo a sede da Copa do Mundo 2014 parecia ser um paraíso de oportunidades para promover não apenas o turismo tradicional mas também as belezas naturais do Brasil e a sua hospedagem de charme, as  pousadas fora do turismo de massa. Mas terá mesmo este evento um efeito positivo no turismo brasileiro em geral? Com certeza ainda não. De acordo com as estatísticas oficiais, entre 2005 e 2012, o turismo receptivo  subiu menos que 1% (de 5.358.170 em 2005 para 5.676.843 em 2012) enquanto o turismo da América do Norte e da Europa  caiu em torno de 15%  (de 2.794.361 em 2005 para 2.368.788 em 2012).

Então, o que está acontecendo de errado? Bem, primeiro, os custos de viajar para e dentro do Brasil tem sido desestimulante para muitos, com a grande maioria dos brasileiros preferindo viajar para o exterior por causa da sobre valorização do Real, e os estrangeiros evitando o Brasil pela mesma razão. Além da imagem de que o Brasil é um país perigoso. Entretanto, um problema tão importante quanto é o de não haver informação precisa, real e fácil de encontrar na internet em inglês para o viajante independente estrangeiro, que costuma organizar a sua viagem online. Isso deixa ainda mais intranqüilo quem quer viajar pelo Brasil de maneira segura e com uma boa noção de onde ir e o que fazer.

De acordo com os próprios dados da EMBRATUR, mais de 70% dos turistas estrangeiros são viajantes independentes, e acredito que este número seja ainda maior. Antigamente, as pessoas liam os jornais, viam os anúncios, compravam os pacotes de viagens nas agências e liam os guias de turismo. Hoje em dia, essas mesmas pessoas fazem as suas pesquisas online, no seu próprio idioma, trocando informações e resenhas sobre os destinos e hospedagem e fazendo depois as suas reservas muitas vezes diretamente com os próprios locais. Há também um aumento na demanda pela procura de lugares mais autênticos como as pousadas do que pelas cadeias de hotéis e grandes resorts, que os turistas poderão encontrar em qualquer lugar do mundo.

A percepção no Brasil parece ser de que o viajante estrangeiro que vem para a Copa do Mundo irá viajar entre os jogos para conhecer as delícias do Brasil fora do turismo de massa e a cultura local e, consequentemente, está sendo investido um bom dinheiro para promover festas locais como as “festas juninas”, que ocorrerão durante a Copa. Eu simplesmente não consigo ver que isto vai acontecer. As pessoas que vem para os jogos são “eventeiros”, como eu gosto de chamá-los, ou seja, pessoas interessadas apenas no evento em si e não necessariamente no país onde está sendo apresentado. A maioria dos “eventeiros” virão já com seus pacotes comprados, seguramente bem caros, e provavelmente não estarão interessados em fazer nada além do programado. Os viajantes independentes poderão estar interessados em conhecer um pouco da cultura local mas com certeza muitos evitarão o Brasil durante a Copa, devido ao alto custo das passagens e da hospedagem. (Isso foi exatamente o que aconteceu durante a última Copa na África do Sul e nas Olimpíadas de Londres no ano passado).

O Brasil tem tudo para ser um dos lugares turísticos mais desejados do mundo, tanto para o estrangeiro como para o próprio brasileiro: milhares de praias maravilhosas, bom clima durante a maior parte do ano, alto astral, um povo hospitaleiro, montanhas, cidades históricas, natureza em abundância e fantásticas pousadas para se hospedar. Mas não são os “eventeiros” destes eventos que precisam ser atingidos, é o viajante independente que espera encontrar toda a informação que precisa online no seu idioma. E também não são as grandes cadeias de hotéis e os resorts que precisam do apoio do governo. São as pequenas pousadas que já fazem parte do turismo sustentável fora das grandes cidades.

Então, como isso pode ser feito? O primeiro passo seria obviamente conhecer e apoiar o blogueiro profissional que divulga o Brasil pela internet. Mas não os blogueiros que falam apenas das suas viagens e experiências durante as suas férias mas aqueles que verdadeiramente conhecem o Brasil, que tem um grande número de seguidores  e que podem realmente influenciar o mercado internacional do turismo.

Temos agora uma necessidade imediata de manejar a imagem e a reputação do Brasil devido aos últimos protestos; ao longo prazo, redefinindo os esforços em relação às necessidades do turista independente e usando os blogueiros como uma das maneiras de atingí-los, a Copa do Mundo poderá então deixar um legado digno e verdadeiro. Poderíamos assim ter um número crescente de turistas durante todo o ano, não apenas durante os jogos, e ao mesmo tempo apoiar o turismo sustentável em todo o país.

Por Alison McGowan, Hidden Pousadas Brazil

Para maiores informações sobre viagens no Brasil e sobre pousadas, visite o hiddenpousadasbrazil.com

 

Share Button

Tags: , , , ,

Category: Sem categoria

Comments (1)

Trackback URL | Comments RSS Feed

  1. Rodrigo Pinto says:

    Hello Allison,

    great insight about the World Cup developments for the incoming tourism in Brazil. I guess construction and FIFA are profiting much more than the tourism industry, but your approach sounds really feasible.

    In your opinion which are the most important blogs that provide travel info to Brazil? I see a top blogs section here with Viaje na Viagem, Brazil Travel Blod and Deep Brazil, would recommend any others?

Leave a Reply